Get Adobe Flash player

Workshop da Sacerdotisa Mudwoman na Antigos Caminhos

 

Cozinha mágica – pratos dos Sabás e temperos

 

Parte 1 - Conhecendo os condimentos:

 

- Canela: erva solar por excelência. Nativa do Oriente Médio, é bastante estimada desde a antiguidade. Apresenta-se em casca (a fina é a melhor, cascas grossas usualmente têm pouco sabor) ou em pó. A menos que você use muito, evite comprar vidros grandes de canela moída, nesta forma perde o cheiro e o sabor facilmente. É muito usada em doces, mas fica boa em carnes como a de porco e algumas preparações de frango também. Magicamente, é ótima para prosperidade, energia e vitalidade. É uma erva que se casa muito bem com a energia masculina.

- Gengibre. Outra erva solar, embora por ser subterrânea, também tenha em si qualidade do elemento Terra. É um rizoma (tipo de caule subterrâneo). Usualmente é usado fresco no Brasil, principalmente na bebida chamada de quentão. No entanto, é um excelente tempero para carnes e peixes, e em molhos de salada. Seco e moído pode ser usado como condimento para grãos e massas (faço uma sopa de lentilhas de prosperidade temperada com gengibre e alecrim muito boa). Magicamente falando, é energizante, melhora o humor, pode ser usado para proteção, principalmente contra ataques psíquicos, e em prosperidade. Na hora de comprar, quanto mais novinho, pequeno e tenro melhor, os mais velhos são fibrosos demais, e embora mais ardidos, têm pouco sabor. Para quem tem acesso a mercados orientais, comprar o baby ginger é uma boa saída. Ainda é bom contra enjoos, resfriados, e fortalece o sistema imunológico no geral.

- Noz moscada. Outra erva solar, com algumas aplicações lunares e venusianas. Bom acompanhamento para chantilly (em cremes de frutas, chocolates quentes, etc). Erva de prosperidade, bom tempero para carne de porco. No entanto, deve ser usada com cuidado, seu gosto pode facilmente se tornar enjoativo.

- Pimenta do Reino. Como todas as pimentas, vai remeter ao planeta marte. O melhor jeito de se usar a pimenta do reino é fresca, moída na hora. A pimenta do reino é usualmente encontrada branca, colhida verde, e preta, colhida já madura. A branca tem um sabor mais delicado. Vai bem em qualquer receita de carne, ensopados no geral, molho-branco e vinhas d’alho. Pode ser usada apenas como tempero, pelo sabor que confere aos pratos, em quantidades pequenas o suficiente para não se tornar ardida.

- Pimentas. As pimentas são plantas de marte, boas para feitiços de proteção, vitalidade e ataque. Existem muitas variedades de pimentas, diferentes no sabor, no ardor, na cor e na forma. Podem ser usadas em praticamente qualquer prato salgado, para quem gosta. Usualmente são usadas na forma de molho, em vinagre, cachaça ou óleo. No entanto também podem ser usadas frescas ou na forma de geléia.

- Louro: outra planta solar por excelência, ligada à vitória, prosperidade, poder, energia, sagrada para o Deus Apolo. Se ingerido em grandes quantidades, é um alucinógeno moderado. Na culinária é geralmente usado na forma de folhas secas, para temperar feijão. No entanto, é um bom tempero para qualquer coisa em que você refogue cebola (coloque uma ou duas folhas de louro e retire ao final), molhos e sopas. Fresco é mais forte, e deve ser usado com cuidado, porque em excesso deixa um sabor amargo na comida. Em pó, raramente usado no Brasil, pode ser usado em sopas, caldos e para temperar carne de porco e pato. 

- Alecrim: de origem mediterrânea, solar, de fácil cultivo.  É bastante usada como energizante, em feitiços ligados a poder, força, prosperidade e expansão pessoal. Na culinária deve ser usada com cuidado, em função de seu sabor forte, que pode facilmente se tornar amargo. Combina muito bem com azeite, carnes em geral e peixes, e também fica gostoso de fervido no vinho. Ainda, é um bom tempero para leguminosas – feijões, lentilha, grão-de-bico, tremoço... 

A erva fresca tem um gosto muito mais forte que a seca, então é bom tomar cuidado.

- Tomilho. Planta das fadas por excelência, ligada tanto à lua quanto ao sol. Magicamente, pode ser usada em qualquer feitiço com fadas e Deusas fadas, para favorecer a beleza, a harmonia e a prosperidade. Também é uma das ervas de Afrodite e Hécate. Tem um sabor suave, lembrando o orégano com um toque de limão. É excelente para temperar peixes, pratos com berinjela, molhos de tomate no geral e saladas. 

- Alho. É uma planta poderosa, magicamente falando, como remédio e como tempero. Planta de Hécate e várias outras Deusas do submundo, é usada para proteção, banimentos e limpezas no geral. Como remédio é um excelente antisséptico, anti-inflamatório e reforça o sistema imunológico. É um dos temperos mais usados no Brasil, no preparado de praticamente qualquer prato salgado: arroz, feijão, carnes de todo o tipo, algumas tortas e pães, patês, saladas e outros. É geralmente usado fresco, mas também pode ser usado seco ou frito, com alterações de sabor.

- Cebola. Um dos temperos mais usados no Brasil, o refogado de cebola acompanha praticamente qualquer prato salgado. Fica boa também em pães, seja ralada e incorporada à massa, seja frita da mesma forma, patês ou mesmo para ser consumida pura, frita, a dorê ou caramelada, quando é um excelente acompanhamento para a maior parte das carnes. Magicamente, é uma planta de Hécate também, e de Ísis – principalmente a variedade doce, que se come como fruta e é muito difícil de achar no Brasil. Boa para trabalhar feitiços de cura, proteção e concentração. 

- Coentro. Planta de origem egípcia, onde era usada como medicinal, não como tempero. No Brasil é mais usada na culinária do Norte e Nordeste, temperando peixes, carnes, abóbora e ensopados no geral.  Há três formas de se usar o coentro como tempero, embora comumente só usemos as folhas. No Brasil se usam as folhas para os usos descritos acima, e magicamente é uma planta de água, calmante, digestiva, boa para reduzir infecções principalmente as reumáticas. As sementes secas também são um bom tempero, principalmente para carne de porco e de caça, e a culinária tailandesa usa as raízes. As sementes já teriam correspondência Marte-Fogo, boas portanto para feitiços de proteção, ataque, vitalidade e sexualidade.

- Cardamomo. Considerada a rainha das especiarias na culinária indiana, vai bem tanto com pratos doces como salgados, embora no Brasil a usemos principalmente com doces. Combina muito bem com baunilha, canela, maçã e chocolate, e o chocolate quente temperado com cardamomo é uma delicia. Ao comprar, certifique-se que o cardamomo tem cor verde suave, e que as cascas das bagas não estão rompidas, já que é uma especiaria cara e se estiver fora das características indica um produto de qualidade inferior.

- Anis Estrelado. São os frutos de um pequeno arbusto que lembra o loureiro. Duros, resinosos, em forma de estrela, podem ser usados para temperar carnes e alguns doces, como compotas de maçãs. Têm um belo efeito estético. Magicamente, é boa para acrescentar ímpeto a alguma coisa, para provocar mudanças. Também têm alguns usos divinatórios. O chá é usado como expectorante e digestivo, acalmando gases e gastrite.

- Erva doce/funcho. Não são a mesma planta, sendo que a erva doce tem sementes mais ‘gordas’ e mais aromáticas, mas são próximas o suficiente em aparência, gosto e cheiro para serem tratadas como uma só. Como tempero, é mais usadas em doces, principalmente bolo de fubá, mas também tempera bem chocolate, vinho e leite, bem como carne suína e alguns peixes. Seu chá é suave, digestivo e levemente calmante. Planta de vênus, favorece a harmonia, o bem estar e a intuição. Um chá de canela, rosas e erva-doce é bom como elemento mágico de rituais envolvendo estes temas. 

- Endro/dill/aneto. São usadas tanto as folhas, com sabor delicado e fresco, como as sementes, com sabor forte e picante, reminescente da erva-doce. As folhas, difíceis de achar no Brasil, podem ser usadas para temperar peixes, maionese, patês, queijos e outras comidas de sabor suave. As sementes são de sabor mais acentuado, e são usadas em picles, vinagres condimentados, peixes e carnes, e alguns legumes cozidos. O endro tem um longo uso como planta medicinal e mágica, datando dos antigos egípcios. Em Roma era usada para proporcionar bom hálito, vitalidade e sorte, sendo hábito que os gladiadores mascassem as sementes antes do combate. Na Europa Medieval, ramos da planta atrás das portas protegia contra o azar, e sempre foi uma planta ligada à questões amorosas. 

- Hortelã. Faz parte das mentas, e é a espécie mais conhecida no Brasil, o hortelã-pimenta. Na culinária é usado principalmente em pratos árabes, como tabule, quibe e coalhada seca, mas é um bom tempero para carnes, principalmente de cordeiro, em saladas, molhos de tomate e outros. O pesto de hortelã servido como molho para saladas frias de macarrão é muito gostoso. Seu chá é medicinal, combate gases e vermes, bem como dores de cabeça de origem digestiva. Também é anti-inflamatorio e anti-séptico. Às mentas como um todo, se atribuem poderes afrodisíacos, e o cheiro delas favorece a concentração e a clareza da mente para a tomada de decisões. Segundo os árabes, uma boa forma de se começar um banquete é lavando a mesa com um chá da planta.

- Menta. Tem as folhas mais curtas, de um verde menos brilhante que o hortelã, mas usos bastante similares. Tem uma aroma mais intenso também, e persistente. Um dos pratos mais famosos da culinária inglesa é o cordeiro com a geléia de menta. É consumida principalmente na forma de chás, bastante refrescantes. Magicamente, tem os mesmos usos, sendo também usada para proteção.

- Pimenta-rosa. A aparência é de uma pimenta do reino rosa, mas é a sementes de uma árvore, não tendo parentesco. O sabor lembra o da pimenta do reino também, levemente ardida e com um toque de anis. Pode ser usada em praticamente todos os usos da pimenta do reino, dando um cheiro levemente floral ás receitas. Combina também com doces. É planta afrodisíaca, usada em pratos que trabalhem magicamente questões ligadas a amor e sexualidade.

- Pimenta-da-jamaica.  É um tempero pouco usado no Brasil, embora seja excelente. Ligeiramente picante, seu sabor remete a cravo, canela e noz-moscada. É excelente para aromatizar vinagres, compotas, temperar carnes, pudins e ensopados, mas deve ser usada com cuidado. Planta de sol/vênus, boa para feitiços de amor, vigor, prosperidade e bem estar.

- Cravo. Uma das especiarias de uso mais antigo. Dada à influência portuguesa, usamos no Brasil o cravo principalmente como tempero para doces, mas é um bom tempero para carnes também. Usado em pães, pudins, doces, compotas, temperar salames e presuntos, carnes, e alguns legumes, como o espinafre, ficam bons com uma pitada de cravo em pó. Magicamente é uma erva poderosa, do elemento fogo, com forte influencia de marte, com alguma influência de terra e ar. Pode ser usada na forma de chá para banimento e purificação, podendo também er usado para magias que envolvam vigor, sexualidade e para aumentar a capacidade mágica.

- Feno Grego. Outra especiaria pouco conhecida no Brasil. São as sementes de uma planta pequena, quadradas. Têm aroma penetrante, e como todas as sementes é melhor se utilizada fresca. Pode ser usada para temperar carnes, legumes feculentos e pães, mas com cuidado, porque em excesso dá um sabor amargo à comida. Magicamente, é uma planta boa para dar harmonia e equilíbrio, bem como clareza de visão à determinadas situações.

- Segurelha. Tempero antigo, de origem mediterrânea, conhecida como afrodisíaco. Usa-se a planta toda, mas a parte mais comumente usada são as folhas, secas ou frescas. É bastante usada para temperar leguminosas em geral, ajudando a sua digestão, legumes e carnes brancas. É parte essencial do mix de erva chamado ervas de Provence. Medicinalmente, usa-se contra gases e cólicas. Planta muito yin, é boa para melhorar os sentidos, a intuição e como afrodisíaca, principalmente para mulheres.

- Manjericão: um dos temperos mais populares do mundo, o manjericão tem muitas variedades, que variam em sabor, aroma, porte, tamanho e cor das folhas. Os mais conhecidos no Brasil são o de folha miúda, que tem sabor pronunciado e picante, o italiano ou lemoncello, de folhas maiores, muito aromático, com um sabor que lembra anis e o roxo, de folhas grandes e sabor mais suave. O manjericão é a alma gêmea do molho de tomate, mas também pode ser usados em pratos com berinjela, carnes, queijo, massas, recheio de frango e peru, acompanhando carne de vitela, saladas, patês, caldos de frutos do mar e pratos com abacate. Se cozido por muito tempo perde o sabor, então deve ser acrescentado aos pratos ao final do cozimento. Medicinalmente é digestivo, usado para tratar insônia, tosses e resfriados,  cistite e tem efeito diurético. Mastigar as folhas ajuda a tratar infecções na boca. A planta é dedicada à Afrodite, e magicamente pode ser usada para feitiços de prosperidade, abundância, harmonia e amor. É crença italiana que a planta só crescerá bem se for ofendida na ocasião do plantio, e que um vaso com manjericão na cozinha trás prosperidade à casa e harmonia ao casal.

- Salsa. Tempero bastante usado na culinária portuguesa e nas regiões Sudeste e Sul do Brasil, sendo praticamente desconhecido no Norte e Nordeste. Planta de gosto pronunciado, existe em algumas variedades, mas a com o melhor sabor é a lisa, chamada salsa portuguesa. Pode ser usada em substituição ao sal nas dietas com restrição deste nutriente. É usada para temperar sopas e caldos, patês, carnes vermelhas e brancas, massas e salgados em geral. Medicinalmente é usada como expectorante, diurético e fortificante, dado os altos teores de ferro e potássio deste erva. Na época medieval era considerada planta ligada ao diabo. No entanto, os gregos coroavam os vencedores dos jogos numídios, em honra a Héracles, com esta erva, como um tributo à fama e a alegria. Tem ligações com Perséfone nesta mitologia também. Pode ser usada magicamente para feitiços para vigor, força, equilíbrio e aceitação de temas difíceis.

- Cebolinha. Tempero bastante popular no Brasil, entrando na composição do ‘cheiro verde’, seja com salsa seja com coentro. É usada para temperar peixes, sopas, ensopados, legumes refogados e saladas. Usualmente é vendida fresca, embora também seja encontrada seca, mas perde muito do sabor e aroma. Magicamente, é uma planta de proteção, ligada à integridade física e psíquica, que absorve energias negativas. Há uma crença que se ter um vaso de cebolinha e um de manjericão na cozinha ajuda a harmonia e prosperidade na casa.

- Laranja. Como tempero, usualmente se usa a casca fresca, ralada, o suco, e a casca cristalizada. É usada pra temperar doces, pudins, bolos, acompanhar cafés e cappuccinos e em alguns casos, o caldo é usado pra temperar saladas com molho agridoce e em molhos de carnes como porco e pato. Magicamente é uma planta solar, ligada à alegria, a um estado mental calmo e animado, ao bem estar. Ainda é tradicionalmente usada como oferenda para Kwuan Yin, junto com arroz.

- Limão. Provavelmente a fruta mais conhecida do mundo. Tem muitos usos, culinários, medicinais, cosméticos e outros. Na culinária, usa-se tanto o seu suco, bastante ácido, para temperar saladas, fazer bolos, molhos, no preparo de peixes e frutos do mar, dentre outros usos. Sua casca é usada para aromatizar doces, bolos, suspiros e outros. Magicamente, uma mistura de água e suco de limão é boa para limpeza e purificação, principalmente de instrumentos mágicos. A casca e o óleo essencial podem ser usados para feitiços de prosperidade, bem estar e amor. Na aromaterapia, o óleo de limão combate a depressão. Uma torta de limão comida com um parceiro garante a fidelidade, segundo uma antiga crença provençal. Ainda, as flores ou o óleo essencial das flores, tanto do limão quanto da laranja estão ligados à luxuria.

- Urucum/colorau. O urucum é a planta que fornece o corante, colorau. O corante é obtido das pequenas sementes cobertas por uma polpa intensamente vermelha. Planta nativa da América Tropical, é um arbusto comum nas margens de rios. Seu uso dentre os índios é antigo, como corante, para tecidos, comida e pintura corporal. Usualmente a tintura de urucum não é usada em dias corriqueiros, mas em dias de grandes vibrações: celebrações, caçadas, aberturas de novas áreas para casa e roçado, guerras. Medicinal, a planta é usada para o tratamento da asma, como expectorante, para tratar colesterol e ácido úrico, e auxiliar na cura de hemorroidas. É bastante usada na culinária brasileira, principalmente a das regiões Norte e Nordeste, para dar cor aos alimentos. Empresta um pouco de sabor, mas é mt suave, e se usado em grande quantidade, amargo. Magicamente, o urucum tem sido usado com sucesso para substituit o sangue de dragão, como uma planta ligada ao sangue menstrual, e também pode ser usada para proteção e vitalidade.

- Açafrão. Especiaria oriental, trazida para o Brasil pelos Jesuitas. Planta da família do gengibre, de pequeno porte, e a parte usada são suas raízes, geralmente desidratadas e em pó. Afora ser um realçador de sabor, e ter seu próprio sabor suave, dá uma espetacular cor amarela para os pratos em que for acrescentada. É componente essencial do curry indiano. Medicinalmente é digestiva, ativadora da função hepática, e apresenta efeitos protetores no organismo. Magicamente, pode ser usada como planta solar, representando força, vitalidade, desejo e sucesso.

- Mangerona. Erva mediterrânea, tradicional na culinária italiana. Sua aparência e sabor lembram um pouco tanto o orégano quanto o manjericão, mas é mais delicado. Pode ser usada em molhos, carnes, massas, recheios de pasteis, e para aromatizar manteigas e vinagres. Medicinal, é estimulante, sudorífera, usada como cataplasma no tratamento de reumatismo, digestiva, contra gases e cólicas. Seu uso mágico, como erva protetora da casa, estimulante da felicidade do lar e em feitiços de amor é comum e antigo nos países mediterrâneos. Tanto na comida, em sachês, dar um vaso de manjerona para alguém como um desejo de felicidade, ou mantida na sala, perto da porta, são usos tradicionais desta planta. Ainda, é ótima em banhos revitalizantes.

- Capim-limão. Geralmente não é usado como tempero no Brasil, apenas como chá medicinal, quente ou gelado. Planta muito aromática, com cheiro fresco intenso, tem a parte interna de seus caules, mais macia, usada como tempero em culinárias orientais, principalmente na tailandesa. Confere um sabor delicado e especial a ensopados de carnes brancas. Medicinal, é sedativa, combatendo insônia e ansiedade, e favorecendo a concentração mental. Seu chá gelado com limão é profundamente revigorante em dias quentes, e seca e queimada em um defumador é bom para espantar traças, mofo e outras mazelas de locais úmidos ou fechados por longo tempo. Magicamente é boa para limpeza, e para feitiços de concentração e clarividência.

- Orégano. O orégano é um tempero bastante popular na culinária, geralmente relacionado a massas e molho de tomate. Com aroma penetrante, confere sabor e cheiro também a ensopados, caldos e carnes, principalmente as brancas. Medicinal, é usada como digestiva, para acalmar cólicas e estômago pesado, e seu chá é usado para lavar o nariz em rinites e sinusites. Também é usado para lavar feridas e tratar doenças de pele. Magicamente, é uma planta dual, protetora e ligada ao amor como a manjerona, mas também é uma planta que era usada para dar sorte aos mortos em sua ultima jornada. Plantada ao redor da casa, protege de fantasmas e feitiços malévolos. 

- Sálvia. Pouco usada no Brasil como tempero, mas é excelente tempero de carnes e pratos gordurosos. Ainda é um bom aromatizante para vinhos, pães e vinagres. Há várias espécies deste gênero, incluindo a sálvia-branca, erva que cresce em montanhas e sagrada para algumas tribos norte-americanas, e a sálvia divinorum, planta de poder de origem mexicana. A que me refiro aqui é a comum, de tempero. Medicinal, é boa para reumatismo, melhorar a memoria e tônico geral do organismo. As folhas secas podem ser usadas como incenso, para purificação e harmonização, e em Roma, a planta é considerada até hoje um símbolo de saúde e boa sorte.

- Baunilha. É o fruto de uma orquídea. Tempero comum de doces (o aroma que associamos ao chocolate, por exemplo, é de baunilha, não de chocolate). Seu sabor único e suave é imprescindível em pudins, doces, sorvetes e alguns bolos. É planta de vênus, ligada ao prazer, ao erotismo e ao amor.

- Outros (Rosas, jasmim, aromatizantes, folhas de pitanga, folhas de uva, folhas de figo, água de rosas, água de flor de laranjeira, xaropes de frutas, etc)

 

MudWoman.